Novas receitas

Adolescentes desfrutam de um jantar à luz de velas no McDonald's

Adolescentes desfrutam de um jantar à luz de velas no McDonald's


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em uma brincadeira, 2 adolescentes tentaram aproveitar seus Big Macs com garfos, facas e luz de velas

Manter a classe, mesmo no McDonald's.

Ouvimos falar de casais que se casam em um McDonald's e, embora tenhamos certeza de que a recepção incluía taças de plástico de champanhe e toalhas de mesa nessas ocasiões, parece que apagar a luz de velas em qualquer jantar antigo é desaprovado.

A Metro UK relata que dois adolescentes, Cameron Ford e Adam Welland, decidiram melhorar seus Mickey D's locais trazendo uma toalha de mesa, velas falsas, taças de vinho e talheres, apenas para serem mandados embora. O Metro relata que os adolescentes foram avisados ​​"saia ou seu [sic] banido", quando os dois estavam apenas tentando trazer um pouco de aula para a lanchonete. "Eram apenas as facas e os garfos padrão. Obviamente, estávamos planejando assumir o controle de todo o McDonald's, então eles tiveram que parar com isso", postou Welland.

Acontece, entretanto, que outros membros da equipe e clientes próximos anularam a decisão de um membro da equipe de expulsá-los, deixando os meninos desfrutando de sua refeição em paz. Desde então, no entanto, a história se tornou viral; O McDonald's ainda não comentou o incidente, mas imaginamos que muitas pegadinhas imitadoras acontecerão.


Fim de semana livre de 100 coisas

Você está sendo invadido por brinquedos e papéis também? Sinto como se os brinquedos das crianças e # 8217 se multipliquem durante a noite.

Junte-se a nós para um fim de semana 100 coisas. Pegue um saco de lixo e faça uma caixa de doação e acertar a casa com força. Não fique pensando sobre isso ou aquilo, apenas pegue os itens inúteis aleatórios que se tornaram um acessório permanente em sua casa.

Livre-se de coisas como revistas velhas, roupas de verão que você nunca usou, roupas de outono que você ainda não vai caber neste ano, aparelhos de cozinha que perdem espaço, chaves aleatórias e pilhas gastas do amplificador da gaveta de lixo. Liberte-se daquela vela feia que sua mãe lhe deu e que você nunca vai queimar. Doe aquela colcha que sua sogra deu a você a culpa para alguém que precisa dela.

Não se esqueça de incluir as crianças nesta aventura.

Jogue fora as coisas como aquele caminhão com apenas três rodas, aquele brinquedo do McDonald’s Happy Meal (como essas coisas encontram o seu caminho em nossas casas, de qualquer maneira?), aquela velha revista National Geographic Kids e aquele projeto de arte meio rasgado. Doe coisas como vídeos do Baby Einstein e quaisquer outros brinquedos infantis com os quais seu filho de sete anos jura que ainda brinca! Considere qualquer coisa que tenha pó de inatividade.

Ainda não convenceu a ideia? Aprenda uma lição de vida com uma criança de cinco anos. Leia este artigo perspicaz do blog Organizing Our Way.

Você não precisa ser uma deusa doméstica
para assumir o controle da sua vida

No final das contas, um ambiente doméstico simples permite que seu filho tenha mais espaço para crescimento mental e criatividade. Se você participar, adoraria ouvir sobre isso ou ver as fotos no Facebook.


Jantar à luz de velas no McDonald's? Sim, você ganha batatas fritas com isso!

Um jantar à luz de velas no Dia dos Namorados. Como romantico.

Mas no McDonald's? Prometemos que não estamos tentando enganá-lo sobre esse romantismo do fast food.

Como o velho provérbio, a necessidade foi a mãe da invenção para Mark Caviness, o gerente geral do Clifton McDonald's.

"Seis anos atrás, tentei levar nossa família a um restaurante e tive que esperar três horas", disse Caviness. "Demorou muito para esperar, então acabamos indo ao McDonald's."

No ano seguinte, quando seu gerente de atendimento ao cliente quis decorar a loja para o Dia dos Namorados, ele disse: "Por que não fazer um jantar à luz de velas?"

Na quarta-feira, eles criaram o clima para casais, jovens e velhos, comprarem flores, uma mesa à luz de velas e, claro, batatas fritas.

É também um local fácil para as famílias se reunirem.

"Achei que seria legal para o pequenino", disse Brooke Van Orden. "Lindamente decorado e com velas de verdade, é maravilhoso."

As reservas têm sido feitas com frequência todos os anos e, neste ano, eles aumentaram o número de reservas em uma hora extra.

"A cada ano ficamos cada vez maiores e maiores", disse Caviness. "As senhoras vão dizer 'bem, eu ia atirar no meu marido por me trazer aqui, mas eu gostei, adorei.'"

Se você quiser começar a planejar para o próximo ano, Caviness disse que começa a receber reservas com semanas de antecedência para este dia especial.


Conheça a mulher que se casou com um ROLLERCOASTER chamado Bruce - o relacionamento deles tem altos e baixos

Todo relacionamento tem seus altos e baixos, mas nenhum mais do que Linda & aposs - porque ela é casada com uma montanha-russa de 70 toneladas chamada Bruce.

Linda, de 56 anos, se apaixonou pela primeira vez por Bruce, de 20 metros de altura, há 26 anos, quando ela trabalhava no parque de diversões onde a atração acontecia.

Mas só recentemente reacendeu o romance após relacionamentos anteriores com uma locomotiva e um avião.

Ela é uma autoproclamada & aposobjectum sexual & apos, o que significa que ela tem sentimentos românticos por objetos inanimados.

Linda, da América, é apenas uma das estrelas da nova série de My Strange Addiction que vai ao ar no canal TLC.

“Algumas mulheres gostam de homens altos, algumas mulheres gostam de homens com uma personalidade colorida, ele tem tudo isso”, diz ela no programa.

& quotPara mim, Bruce é simplesmente incrível quando se levanta e se espalha. & quot

Os dois jantam à luz de velas e Linda costuma passar a noite dormindo no passeio.

She & aposs juntou-se a um casal de britânicos com hábitos incomuns - incluindo o londrino Patrice de 29 anos que é viciado em mascar tijolos nos últimos 12 anos.

Seu vício é tão poderoso que ela uma vez abriu um buraco de meio metro na parede de seu quarto e comeu parte da casa de sua avó em segredo.

"Comecei a comer tijolos no final da adolescência", ela explicou no programa.

"Tive a ideia de fazer isso da minha avó, que me disse que minha tia e meu tio, quando eram crianças, costumavam cavar a parede e prová-la."

Ela diz que morar em Londres torna seu vício pior.

“Londres está cheia de tijolos”, diz ela. & quotAs Casas do Parlamento, Big Ben, as estradas. O tijolo está em toda parte. Eu tenho este lembrete constante de tijolo, tijolo, tijolo. & Quot

Também é apresentada a Carolyn de 29 anos de idade, de Liverpool, que gastou £ 26.000 fazendo-se parecer mais com Pamela Anderson e que se autodenominou & aposthe Scouse Pammie & apos.

Há também Evelyn, que bebe purificador de ar e o borrifa na boca até 50 vezes por dia.


55 coisas em seu sótão que podem valer muito dinheiro

Não jogue fora essas caixas! Você pode estar sentado em uma mina de ouro.

Nós entendemos e você está preso em casa com bastante de tempo extra em suas mãos. Você já estudou como limpar persianas e como pintar uma sala e então realmente fez o trabalho! Você até recorreu ao Google "O que fazer quando estiver entediado". Portanto, agora é hora de considerar a tarefa há muito negligenciada de limpar o sótão ou o depósito. Todos nós temos aquele estoque de caixas, você conhece as "heranças de família de valor inestimável" que a vovó lhe deu há muito tempo. São aquelas caixas que não se desempacotam há vários movimentos e muitos anos para contar. Embora não haja nada mais satisfatório do que jogar uma pilha de mercadorias esquecidas no centro de doação (você sabe o que dizem sobre o lixo de um homem.), Pode valer a pena dar uma olhada em seu estoque de coisas para ter certeza de que você não está sentado em um tesouro. Com o passar dos anos, os itens podem valorizar mais do que você pensa. Portanto, antes de jogar ou doar qualquer coisa, dê uma olhada nesta lista de 55 itens que valem muito dinheiro hoje e podem estar escondidos à vista de todos em seu armazenamento. Quem sabe? Mesmo aqueles itens em liquidação de garagem que você comprou por um dólar podem valer uma fortuna agora!

As pinturas de hipismo e caça alcançaram popularidade na Inglaterra do século 19, mas os cavalos e seus cavaleiros adicionaram o talento adequado às paredes das galerias por centenas de anos. De retratos formais de jóquei a representações repletas de ação de excursões tradicionais de caça à raposa, a categoria é popular para amantes de cavalos casuais e especialistas. Grandes pinturas a óleo com molduras ornamentadas originais obtêm valores muito mais altos, enquanto exemplos menores em molduras mais simples e primitivas trazem menos.

O que vale a pena: $ 200 a $ 10.000

Os consoles de videogame da década de 1980 estão ganhando muito dinheiro, especialmente quando não são usados ​​e / ou são uma edição rara. O protótipo do Nintendo PlayStation mostrado aqui foi vendido em um leilão em março de 2020 por $ 360 mil. Os videogames individuais estão disponíveis em todas as faixas de preço e podem render mais de US $ 20.000.

O que vale a pena: $ 20 a $ 360.000

Julia Child é uma das chefs favoritas da América, e seu primeiro livro de receitas varreu o país quando foi publicado em 1961. Se você manteve uma cópia original, pode estar no mercado por mais do que apenas um apetite satisfeito & mdasha primeira edição em bom estado A condição com a jaqueta original é rara e ganha muito no Ebay e em outros sites de leilões online.

O que vale a pena: $ 2.000 e acima

Agosto de 2020 marca o centenário da 19ª Emenda & ratificação, o que significa que & ldquovotes for women & rdquo collectibles estão de volta ao centro das atenções. Itens como os mostrados aqui que datam diretamente dos anos mais ativos do movimento e rsquos (1890 e 1917) são considerados dignos de museu, com valores em milhares de peças posteriores, como botões e alfinetes, são mais acessíveis. Encontre um extenso índice de artefatos em womansuffragememorabilia.com.

O que vale a pena: $ 50 a inestimável

Após a Segunda Guerra Mundial, os americanos estavam em um clima de celebração e entretenimento em casa (especialmente coquetéis) estava na moda. Importante para o caso foi a oferta de barware & mdashwith gráfico e colorido apropriado apenas a dose certa de glitz & mdash de ouro por empresas de vidro bem conhecidas como Libbey, Federal Glass, Hazel-Atlas e Culver. À medida que a moda por coquetéis retrô cresceu, também cresceu o amor pelos acessórios que os acompanham. Mas você não precisa esperar por uma festa para apreciá-los. Essas peças modernas são uma adição divertida à sua mesa do dia a dia.

O que vale a pena: $ 15 a $ 1.500

Recentemente, Country Living's editores de estilo têm cobiçado colchas vintage monocromáticas, como a bela colcha remendada mostrada aqui. Seus padrões de volta ao básico (normalmente uma única cor misturada com branco) eram populares nos anos 1930 e & rsquo40 e são uma reminiscência dos primeiros designs de quilters & rsquo, quando as opções de cor e tecido eram limitadas.

O que vale a pena: $ 150 a $ 450

Quando se trata do fator nostalgia, nada supera um pôster de show original, e quanto maior o nome (leia-se, Beatles!), melhor. A avaliadora Helaine Fendelman informa que os cartazes emoldurados são mais desejáveis ​​e trazem a parte mais alta da faixa de $ 100- $ 1.000, embora aqueles de maior atração podem trazer muito mais em leilão e pôster mdasha para um concerto dos Beatles no Shea Stadium de 1966 vendido por $ 137.000 no início deste ano.

O que vale a pena: até $ 25.000

Quando o jovem litógrafo Milton Bradley fundou sua gráfica com sede em Springfield, Massachusetts, um jogo de tabuleiro inglês ao qual ele foi apresentado por um amigo estava em sua mente. Ele decidiu lançar uma versão americana do jogo, The Checkered Game of Life, em 1860. O risco valeu a pena, e assim deu início à nova direção de sua empresa e a eventual introdução de mais de 1.000 jogos. Alguns eram baseados em jogos de cartas tradicionais e jogos de salão, alguns davam um aceno para temas culturais (dinheiro durante a Depressão, patriotismo durante tempos de guerra), enquanto outros apostavam em personagens da cultura pop (pense em Superman ou nos Anjos de Charlie). Quando se trata de revenda, as caixas lacradas e fechadas costumam dobrar o valor, mas a nostalgia retro das noites em família da infância equivale a dólares para a maioria dos títulos.

O que vale a pena: $ 10 a $ 800

Esses espelhos de olho de boi com moldura dourada costumam ser cobertos por uma águia, que era um motivo patriótico popular em nosso então recém-independente país. Também se pensa que as 13 bolas ao redor da borda simbolizam as 13 colônias originais. Os espelhos do período federal real datam de 1780 & ndash1830 e atingem o valor mais alto, enquanto bons exemplos do século 19 ou do início do 20 & ldquo no estilo & rdquo são vendidos por muito menos.

O que vale a pena: $ 100 a $ 10.000

Pequenos relógios de parede e de mesa no estilo Art Déco alcançaram o pico de popularidade na década de 1930 e & rsquo40. Suas formas e materiais refletiam a opulência da era & mdashthink rostos espelhados, detalhes em ouro e desenhos geométricos que imitavam os arranha-céus que surgiam nas principais cidades da época. Muitos relógios podem ser encontrados por menos de US $ 50, mas modelos de valor mais alto de fabricantes conceituados como Westclox e Telechron podem chegar a quase US $ 1.000. (Dica: eles são muito fáceis de detectar. O nome do fabricante geralmente é mostrado no próprio mostrador do relógio.)

O que vale a pena: $ 25 a $ 1.000

Ainda está segurando sua velha lancheira? Caixas com Roy Rogers, The Beatles, The Jetsons e até mesmo Rambo podem render muito dinheiro.

O que vale a pena: Até $ 3.100

Iscas de pato tornaram-se altamente colecionáveis ​​em meados do século 20 e os preços nunca foram tão altos para itens primitivos. Se você herdou um, pode ganhar até centenas de milhares de dólares em um leilão. Leia mais para obter mais detalhes sobre o que torna um chamariz valioso.

O que vale a pena: Até $ 650.000

Se você se agarrou a esse disco popular de 1967 dos Beatles, pode estar com sorte. As cópias do álbum renderam até $ 290.500 em leilão, embora a maioria seja vendida por algumas centenas de dólares.

O que vale a pena: Até $ 290.500

Ao determinar o valor dos cartões de beisebol, a regra geral é que quanto mais velhos eles são, mais valem. Existem muitas nuances que determinam o valor de uma carta, então, se você se deparar com uma pilha de cartas antigas, vale a pena avaliá-las. Com base em variáveis ​​como condição, jogador e ano, um cartão pode ser vendido online por milhares de dólares.

O que vale a pena: Até $ 3,2 milhões

Esses mini vasos medem apenas dez centímetros de altura, mas têm um toque decorativo. Feito pela Morton Pottery, eles & rsquore apenas um exemplo da cerâmica redemoinho terrosa popularizada por Midwestern e fabricantes da área de Ozark como Niloak e Nemadji nos anos 1920 e & rsquo30s. Frequentemente vendidos como souvenirs de beira de estrada, esses vasos coloridos são amplamente conhecidos como & ldquotourist pottery. & Rdquo Vasos maiores (mais de 30 centímetros de altura) com marcas maker & rsquos podem valer mais de US $ 300.

O que vale a pena: $ 15 a $ 350

Os brinquedos colecionáveis ​​de pelúcia que eram populares na década de 1990 têm um grande valor de revenda em sites como o Ebay, especialmente se a etiqueta ainda estiver fixada e o item estiver em perfeitas condições. Enquanto muitos valem apenas alguns dólares, alguns dos brinquedos de edição limitada foram vendidos por até meio milhão de dólares online. Por exemplo, um dos originais Beanie Babies & mdasha lobster chamado Pinchers & mdashsells por $ 35.000.

O que vale a pena: Até $ 500.000

Fundada em 1919 como subsidiária da General Electric, a Radio Corporation of America (RCA) foi pioneira na indústria de rádio. Em 1929, a RCA comprou a Victor Talking Machine Company (conhecida pelo fonógrafo Victrola), criando a RCA Victor e lançando sua presença em rádios de consumo. A empresa seguiu sua linha original Radiola com console em estilo Art Déco e rádios de madeira que dominaram o mercado nos anos 30 e 40. O plástico foi a mania pós-Segunda Guerra Mundial, e a RCA respondeu com rádios de tubo elegantes e coloridos feitos de baquelite e, mais tarde, de outros plásticos sem resina, como o trio da foto.

O que vale a pena: até $ 4.000

Sim, aquele toca-discos vale alguma coisa também! "Este toca-discos RCA Victor Slide-O-Matic é um tanto raro", disse Jim Griffith, do eBay. "Este modelo particular remonta à década de 1950 e fez ouvir uma pilha de 45s & mdash o único tipo de disco que toca & mdash com muito trabalho intensivo", diz ele. "Os registros são inseridos um de cada vez, então você basicamente ouve uma única música antes de inserir a próxima." Este modelo é menos procurado do que as versões portáteis ou uma versão posterior que combinava o toca-discos e um rádio AM em um único dispositivo.

O que vale a pena: até $ 800

Se você tiver a sorte de conseguir um par de ingressos do Super Bowl naquele dia, poderá ganhar um grande pagamento por mantê-los. A maioria desses ingressos de papel tem uma faixa azul ou amarela na parte superior que, de acordo com o Sports Collectors Daily, é vendida por US $ 200 a US $ 1.000. Se você mantiver os ingressos com listras brancas no topo, poderá ganhar até US $ 4.000. Claro, isso depende da popularidade do jogo também. Os ingressos para o Super Bowl II e Super Bowl XII são particularmente raros.

O que vale a pena: Até $ 4.000

Roupas e acessórios vintage, como lenços, bolsas e cintos, podem gerar preços na casa dos milhares, e até mesmo dezenas de milhares, se tiverem nomes de estilistas como Hermes, Louis Vuitton ou Chanel. (Uma edição limitada da bolsa Hermes Birkin foi vendida por US $ 125.000!) Itens de marcas menos famosas podem ser comprados com preços mais acessíveis. & ldquoA chave é a condição & rdquo diz o avaliador Bene Raia. & ldquoOlhe todas as camadas do tecido para se certificar de que não há buracos de traça ou danos. Então encontre uma ótima lavanderia a seco. & Rdquo


20 maneiras como o McDonald & # 8217s revolucionou a alimentação fora de casa nos últimos 20 anos

Em outubro de 1996, Hardcastle Restaurantes Unip. Ltd., (HRPL) uma subsidiária integral da Westlife Development Ltd trouxe o mundialmente famoso McDonald & # 8217s para a Índia com o lançamento de um outlet em Bandra, Mumbai. Desde então, os restaurantes Hardcastle abriram 245 (em 30 de setembro de 2016) lojas no oeste e no sul da Índia.

Os restaurantes permitiram que clientes de todo o país desfrutassem da experiência gastronômica quintessencial do McDonald & # 8217s, que inclui comida servida rapidamente, salas de jantar limpas e confortáveis ​​e instalações exclusivas. Ao longo de vinte anos, com as experiências únicas que proporciona, o McDonald & # 8217s revolucionou o conceito de comer fora.

Aqui, estamos dando uma olhada em algumas das práticas exclusivas do McDonald's, que vão desde suas ofertas de alimentos e bebidas, sua variedade de formatos, seu fornecimento exclusivo e cadeia de demanda até seu envolvimento com os funcionários, o que ajuda a explicar seu status como um gigante do fast food em Índia hoje.

Adaptando o menu para atender aos paladares locais

Embora o McDonald’s seja um ícone global de fast food, cerca de 70% de sua tarifa foi desenvolvida para atender ao paladar indiano local. O McAloo Tikki é um exemplo perfeito feito com uma empada de batata e ervilha com especiarias indianas e pão ralado, foi lançado em 1997 e fez sucesso instantâneo. Desde então, já viajou para países da Ásia como Cingapura e Dubai, para citar alguns.

Adaptando o cardápio para se adequar à cultura local

Em todo o mundo, o icônico hambúrguer McDonald & # 8217s & # 8216Big Mac & # 8217 foi feito com um hambúrguer duplo de carne. No entanto, demonstrando respeito pela cultura na Índia, uma versão revisada do Big Mac & # 8211 & # 8216The Chicken Maharaja Mac& # 8216 foi criado e em janeiro de 2016 uma variante vegetariana também foi introduzida! Na verdade, a Índia é o primeiro país do mundo onde o McDonald's não serve produtos de carne bovina ou suína.

Refeições para todas as ocasiões

Quer você esteja desejando um bom café da manhã farto, um almoço rápido ou um jantar saudável, o McDonald & # 8217s sempre tem algo para você. Enquanto os estabelecimentos McDonald & # 8217s servem bolos quentes, McMuffins e McEggs para o café da manhã e hambúrgueres e wraps para refeições posteriores, os McCafés são o destino perfeito para uma variedade de bebidas gourmet, incluindo cafés especiais, chás, frappes, smoothies e uma variedade de sobremesas, incluindo bolos, biscoitos e bolinhos.

Refeições com boa relação custo-benefício

Para fornecer aos clientes refeições balanceadas, o McDonald & # 8217s oferece refeições combinadas para quase todas as suas tarifas. O Chicken McGrill, o Aloo wrap, o McAloo Tikki e o Masala Grill Chicken podem ser consumidos com batatas fritas e um refrigerante a um preço acessível, criando uma refeição balanceada e satisfatória de fácil acesso.

Uma variedade de opções saudáveis ​​de cardápio

Estamos vivendo em uma sociedade que se tornou cada vez mais preocupada com a saúde e o McDonald & # 8217s garantiu que está oferecendo uma gama de opções para aqueles que contam suas calorias. A maioria de seus hambúrgueres e opções de café da manhã são grelhados. De acordo com relatórios recentes, o McDonald's India reduziu o sódio em 20% nos mundialmente famosos MacFries e em 10% nos McNuggets e pães, e o teor de gordura em sua maionese de 67% para 25,5%, então agora você pode se deliciar com maioneses com baixo teor de gordura em seu favorito hambúrguer. Enquanto isso, seus laticínios, como os soft serve, contêm menos de 3,5% de gordura.

Refeições Felizes

O McDonald & # 8217s percorreu um longo caminho para garantir que seja um restaurante familiar. A marca registrada Happy Meals é um excelente exemplo de como as crianças recebem uma refeição contendo um hambúrguer ou nuggets emparelhado com um pacote tetra de suco e & # 8211 o item que os deixa mais animados & # 8211 um brinquedo. Por meio do McLanche Feliz, os pais podem garantir que seus filhos recebam uma refeição completa e uma nova forma de entretenimento.

Celebrações de Aniversários

As crianças também podem desfrutar de suas festas de aniversário no McDonald's. Essas festas ou & # 8216Birthday Blasts & # 8217 incluem cartões de convite de Ronald McDonald, jogos de saída com prêmios incríveis, devolução de presentes, um presente especial de Ronald McDonald para o aniversariante e um cartão especial de aniversário.

Embora o McDonald & # 8217s ofereça áreas de jantar espaçosas e divertidas para os clientes, ele também entende que às vezes as famílias querem apenas passar um tempo de qualidade em casa. Portanto, ele oferece uma opção de entrega em domicílio ou & # 8216McDelivery & # 8217. O cardápio de entrega em domicílio é quase igual ao cardápio da loja e a rede também oferece ofertas especiais na entrega, como sobremesa grátis com refeição ou um mais um que os clientes podem aproveitar usando códigos de cupom.

O McDonald & # 8217s é adequado para famílias de várias maneiras, mas também atrai o público mais jovem. McCafé, uma rede interna de cafés com sua decoração elegante e grande variedade de opções de bebidas, o que o torna um lugar perfeito para os jovens relaxarem e desfrutarem de refeições e bebidas luxuosas a preços acessíveis.

Drive Thrus

Drive Thrus, que pode ser encontrado em vias expressas e rodovias de todo o país são o melhor amigo do viajante, pois oferecem uma variedade de comodidades, incluindo um lugar confortável para jantar uma comida deliciosa e higiênica, banheiros limpos e estacionamento.

Produzindo grandes quantidades para atender a volumes de clientes

Por meio de sua cadeia de suprimentos exclusiva, o McDonald & # 8217s produz e serve uma quantidade impressionante de produtos anualmente, incluindo aproximadamente 15 milhões de pães, cerca de 3,2 milhões de litros de molho vegetariano especial que é usado para adicionar sabor a hambúrgueres e wraps e 1.200 toneladas de alface cultivada localmente .

Trabalhando com fazendeiros para garantir produtos premium

McDonald & # 8217s tem trabalhado e continua trabalhando com fazendeiros locais para ajudar a estabelecer e melhorar suas práticas agrícolas. Por exemplo, em um momento em que a alface americana foi importada para a Índia, ela treinou 500-600 agricultores para produzir a safra na própria Índia, criando alface mais fresca que é & # 8216Fabricada na Índia & # 8217. Por meio desse e de outros esforços semelhantes, ela garantiu a produção de produtos premium, ajudando a vida dos agricultores e impulsionando a economia local. Hoje, o McDonald & # 8217s obtém 90-85% de seus recursos brutos diretamente dos agricultores.

Parceiros de Produção

A produção proveniente dos agricultores é então levada para os parceiros de produção do McDonald's como Mrs. Bector & # 8217s (que produz os pães de hambúrguer) e Vista Processed Foods (que produz os hambúrgueres). Essas empresas de produção trabalham de forma eficiente para produzir hambúrgueres, pães, molhos e outros produtos, garantindo que etapas rigorosas de higiene e verificação de qualidade sejam realizadas em cada etapa do processo.

Cadeia de Abastecimento Única

Depois de produzidos, os produtos são coletados pelo parceiro de logística do McDonald's, Radhakrishna Foodland, que lida com a distribuição de produtos em todo o país. A empresa possui uma ampla frota de caminhões de entrega, bem como espaço de armazenamento em uma variedade de temperaturas ideais para cada produto. Por meio do processo de entrega da Radhakrishna Foodland & # 8217s, os produtos chegam aos pontos de venda do McDonald & # 8217s frescos e em tempo hábil.

Higiene e segurança alimentar em lojas do McDonald's

Após a entrega, os produtos são montados nas cozinhas do McDonald & # 8217s, que possuem seções separadas para pratos vegetarianos e não vegetarianos. Para garantir a higiene e segurança alimentar, várias medidas são tomadas incluindo auditorias alimentares duas vezes ao dia, equipando todas as estações com solução higienizadora e orientando os funcionários a usarem roupas adequadas como redes para o cabelo, joias mínimas para mulheres dentro da cozinha.

Fornecimento de emprego

Além de fornecer empregos indiretos para fazendeiros e funcionários de empresas de processamento e entrega, o McDonald & # 8217s emprega diretamente mais de 7.000 indivíduos no oeste e sul da Índia. Funcionários do McDonald’s aqui.

Garantindo Diversidade

O McDonald & # 8217s faz um esforço especial para empregar uma força de trabalho diversificada com funcionários de toda a Índia, bem como uma grande porcentagem de mulheres.

Habilidades para a vida

Cada funcionário da rede é treinado com um curso de Habilidades para a Vida, que fornece aulas individuais sobre atendimento ao cliente, bem como habilidades de liderança que os ajudarão não apenas em suas carreiras no McDonald & # 8217s, mas em uma série de planos de trabalho no futuro.

Oportunidades para Educação

Além disso, os funcionários são incentivados a buscar oportunidades de ensino superior & # 8211 a rede tem vínculos com institutos como Symbiosis e Welingkars, que permitem que os funcionários se beneficiem de descontos. Na verdade, existem vários exemplos de funcionários do McDonald & # 8217s que começaram como graduados do ensino médio e agora dirigem empresas multicrore.

Serviço com um sorriso

Por fim, todos os funcionários do McDonalds são treinados para seguir a frase de efeito & # 8216Serviço com um sorriso & # 8217, garantindo que os clientes desfrutem de pedidos agradáveis ​​e uma experiência gastronômica deliciosa.

Esta complexa teia de fatores de oportunidades, comportamento e satisfação dos funcionários, qualidade alimentar, iniciativas e instalações exclusivas, que trabalham em conjunto para garantir ao cliente uma experiência gastronômica incomparável. E é essa experiência que ele oferece que deu ao McDonald’s sua reputação estelar hoje e continuará a fazê-lo nos próximos anos.


Uma nota rosa para Ronald McDonald?

O que? Ele corria o risco de ser despedido? Aparentemente, nem todo mundo é louco por seu trabalho, que os críticos dizem ser pouco mais do que empurrar junk food para as crianças. A organização Corporate Accountability International tem feito apelos para que a gigante do fast-food retire o vendedor implacável e alegre, observando que as vendas de cigarros para crianças caíram drasticamente quando Joe the Camel e seu amigo violento, o Homem de Marlboro, foram despedidos.

Psh, respondeu o CEO da McDonald's Corp. Jim Skinner em uma reunião de acionistas na semana passada em Oak Brook, Illinois. O ruivo bizarramente penteado é "" é uma força para o bem ", disse Skinner aos acionistas." Ele se comunica de forma eficaz com crianças e famílias ao redor estilos de vida ativos e equilibrados. Ele não vende comida. "

Isso parece um pouco forçado e o que mais ele estaria fazendo se não estivesse vendendo comida? & ndash, mas os acionistas aplaudiram o anúncio. Parece que Ronald terá estabilidade no emprego por mais 50 anos. Agora, se alguém pudesse fazer algo sobre aquele monarca assustador do Burger King.


Dê as boas-vindas ao novo: 12 viagens para começar o ano novo

Faça feno em Cork

Se você foi responsável por alimentar as tropas durante todo o Natal, é hora de sentar e deixar outra pessoa cozinhar. Vá para Hayfield Manor nos arredores da cidade de Cork para uma recepção com champanhe projetada para te alegrar no jantar de gala de oito pratos que se segue. Realmente estenda os barris. E quando você ligou no ano novo, com o acompanhamento da banda residente do hotel, está de volta no andar de baixo na manhã seguinte para um café da manhã com champanhe e check-out devidamente tardio (13h30). A partir de € 299 por pessoa a partilhar. hayfieldmanor.ie

Destaques do norte em Derry

Siga para o norte para um pacote elegante de Véspera de Ano Novo no Ardtara Country House Hotel, recentemente premiado como Melhor Restaurante de Hotel em Ulster gong. O Victorian Country House oferece um pacote de duas noites de Ano Novo, incluindo café da manhã irlandês completo, prosecco e recepção com canapés na véspera de Ano Novo e menu de degustação de seis pratos com vinhos especialmente selecionados, bem como entretenimento ao vivo. Em seguida, retire-se na madrugada para um quarto com cama king-size e lareira - também ganhou prêmios de hotel romântico do ano. Preços de PIB199 (cerca de € 277) por pessoa a partilhar. ardtara.com

Fique mais tempo em Longueville

Desfrute de dias de descanso em Longueville House, uma propriedade rural nos arredores de Mallow em Co Cork, cujo excelente feriado de Ano Novo leva você ao check-in em 29 de dezembro para três dias de café da manhã relaxante, caminhadas pelo campo e aconchegantes lareiras. Desfrute de jantares à luz de velas em duas noites e um jantar especial de véspera de Ano Novo, com dança, na grande noite quando os proprietários, a família O'Callaghan e a equipe irão encher taças de champanhe e brindar a sua boa saúde. A partir de € 479,50 por pessoa a partilhar. Longuevillehouse.ie

Adequado para toda a família em Athlone

Faça disso um caso de família no Hodson Bay Hotel em Athlone. O hotel, que fica às margens do Lough Ree, oferece um jantar de véspera de Ano Novo com cinco pratos em seu premiado restaurante L'Escale, com hóspedes adultos convidados a começar o Ano Novo com uma banda ao vivo enquanto os mais pequenos podem jantar em seu Penguin Kid's Camp e sua própria discoteca que vai até 1h. Os adolescentes podem fazer o que fazem de melhor e ficar olhando para seus telefones durante a noite na sala exclusiva para adolescentes, parando ocasionalmente para revirar os olhos. Pacotes de duas noites a partir de € 219 por adulto. hodsonbayhotel.com

Capture um castelo em Mayo

Comemore Auld Lang Syne em estilo muito tradicional no Castelo Ashford em Cong. Os hóspedes aqui chegam na véspera de Ano Novo para uma taça de vinho quente e uma caça ao tesouro à tarde pelo terreno, projetado para abrir o apetite para o chá da tarde que segue na sala de estar. As festividades noturnas começam com um coquetel antes de um jantar black-tie, dança e uma celebração à meia-noite com champanhe. No dia seguinte, reforçado por um brunch de bucks fizz, é uma mistura de golfe, demonstrações de falcoaria, passeios de barco e tiro ao pombo de argila, antes de mais chá da tarde, jantar e música. O pacote de duas noites custa a partir de € 977,50 por pessoa compartilhando. Ashfordcastle.com

Rock ininterruptamente em Killarney

Anime a sua celebração de Ano Novo com a rainha do rockabilly, a indomável Imelda May, que estará tocando no Ano Novo - com seu colega Dub Damien Dempsey - no INEC em Killarney. Um local fantástico para um pacote de fuga em qualquer época do ano, aguarde o telhado que será erguido no Ano Novo, com as comemorações programadas para continuar até altas horas nos hotéis Gleneagle e Brehon, que compartilham os mesmos terrenos. Uma estadia de duas noites no The Gleneagle, incluindo café da manhã e ingresso para o show, custa a partir de € 183 por pessoa. O mesmo pacote no vizinho Brehon começa a partir de € 248 pps. inec.ie

DIVERSÃO ESTRANGEIRA
Cruzeiro para o Ano Novo

Viaje em 2016 em um navio de cruzeiro e você estará fazendo as malas nas cidades, não nas malas. Start the New Year with a six-night Mediterranean fly/cruise with online travel agent E-Travel, on board the four star Norwegian Cruise Lines ship Épico – famous for the quality of its on-board entertainment. Fly out from Dublin on December 28th, bound for Barcelona, dump your kit in your cabin and set sail for Rome, Naples and Palma, Majorca. Stay in a balcony stateroom from €1,499 per person sharing, including return flights and transfers. e-travel.ie

Olé lang syne in Spain

See a different side of Spain with a New Year’s holiday in Andalusia, departing December 29th from Dublin to Malaga, and transferring for a seven-night stay at the four-star hotel Antequera Golf, on a half board basis.

Antequera is known as the heart of Andalucia, and a good base from which to see Malaga, Cordoba and Seville, excursions to which are all included in the package, as well as a special dinner and entertainment on New Year’s Eve. The package, including flights, accommodation and tours, costs from €829. traveldepartment.ie

Waltz into the New Year in Vienna

As you’d expect from Vienna, they do New Year’s Eve in style. From 2pm until 2am, the old city centre is transformed into a giant party zone, with a new Year’s Eve Trail to follow, hot punch and culinary treats on every corner and all sorts of musical entertainment. Check out the classical area on Graben and see the city’s dance schools offer crash courses – often literally – in waltz on Stephansplatz, with a firework display rounding things off on City Hall Square and in the Prater at midnight.

Then it’s up next day for a hangover cure brunch featuring the Vienna Philharmonic’s New Year’s Day concert on a big screen in front of City Hall.

Clickandgo has accommodation to suit, staying at the three-star Altwienerhof Hotel for three nights, B&B, from €489 pps. clickandgo.com

Keep your sunny side up in Dubai

Top up your tan with a winter sun holiday in Dubai this New Year. Stay at the five-star Marriott Hotel Al Jaddaf, a new hotel close to famous landmarks such as the Burj Khalifa, Jumeirah Beach, Dubai Creek and the Gold Souq and which offers a free shuttle bus service to Dubai Mall. With pool, spa, gym and numerous restaurants, there’s plenty of reason to just stay put and chill – and with temperatures typically in the high teens, it actually is chilled by UAE standards. Pay for five nights at the Al Jaddaf, including return flights from Dublin, from €1,876, and get one extra night for free, departing December 28th. Expedia.ie

Drop the ball in NYC

Times Square is lit up like a Christmas tree every night of the year but on New Year’s Eve, it goes into overdrive. Join the one million people who pack into it each year for a celebration that features star-studded musical performances, balloons, freebies, confetti and a pyrotechnic display so colourful you’ll be seeing it when you close your eyes for months to come. And, of course, you’ll be paying homage to the famous ball – made of Waterford Crystal no less. Sunway has three-night packages staying at the three star Wellington Hotel in midtown, about 1km from Times Square, on a room only basis, departing December 29th, from €1,769 pps, including flights but not transfers. Sunway.ie

Ski into 2016

What better way to work off all that Christmas pudding than to hit the slopes for New Year. Bring the kids and stay self-catering at the three-star Le Hameau du Mottaret apartments at Mottaret in the Meribel Valley.


What Kids Did On the Western Frontier

Ever wonder how children had fun when the wagon train stopped for the night? Or what the big event was for pioneer families on Friday nights?

What do you like to do on the weekend? Rent a movie? Play video games? Or do you run down to the community center with the rest of the neighborhood to take part in a fast-paced spelling bee?

Spelling? For fun? If you were growing up on America's Great Plains in the 1800s, you'd consider a spelling bee a boot-stompin' good time.

Children and adults "would come from all over to see a spelling bee," says Priscilla Clement, a professor at Pennsylvania State University.

Imagine what it was like growing up 100 years ago in places like Kansas, Wyoming, or Wisconsin before there were big cities, paved roads, or McDonald's.

Perhaps you've gone on a camping trip or eaten dinner by candlelight when the power went out on a stormy evening. Maybe you've read books about frontier life like Laura Ingalls Wilder's famous "Little House" series. (The pictures on these pages are from those books. They were drawn by Garth Williams, who also illustrated "Charlotte's Web" and "Stuart Little.")

Historian and author Harriet Sigerman says the account of pioneer life in the "Little House" books is pretty authentic though somewhat romanticized. "She creates a sense of community that is authentic," Dr. Sigerman says.

Settling on the frontier was exciting for children, but it was also hard work. "Work really shaped their lives," Sigerman says. "Even young girls were accustomed to roping cattle and doing farm work."

Moving west wasn't like stopping at the nearest real estate office or keeping an eye out for "for sale" signs. Families were settling in undeveloped areas where they had to build their own houses and grow their own food.

To understand how children lived, it's important to understand a little history.

People pushed westward in search of free land and new opportunities. Some were immigrants from Europe trying to escape poverty and religious persecution. Others sought riches or adventure.

By the 1840s, settlers had reached California. But it wasn't until the 1860s that the Great Plains - the grasslands between the Missouri River and the Rockies - were safe for settlement.

The Homestead Act of 1862 offered a quarter section (160 acres) of land to anyone who agreed to improve it over a five-year period. Thousands of families piled their possessions in wagons, hitched up horses or oxen, said "giddyap!" and jolted their way west.

Parents depended on their children to help out. A quarter section of land is the size of 120 football fields! "Kids were expected to work," Dr. Clement says. "They didn't do the same things adults did, but they could weed, garden, tend cows, ride horses."

CHILDREN'S days would begin at first light, Clement says. "They would go to the well, lay a fire, bring in wood, and boil water. The children would then milk the cows and collect eggs." (Quite a difference from being asked to tidy your room, take out the garbage, and turn down the TV!)

Without electricity or running water, everyday chores took longer. Doing the laundry might take an entire day. And you'd never hear your parents demand that you take a bath every night!

"Bathing didn't happen very often," Sigerman says. "Putting together a bath was a big undertaking." Parents did strive to "maintain a sense of decorum," though.

Children learned to cook, bake, make soap and candles, sew and spin. "Young children did household chores together and then around the age of 9 or 10 they started to work in the field - boys and girls."

For girls, working alongside boys was a big change. In more settled parts of the country, girls were expected to do only household chores. "Girls had freer lives in the West," Clement says.

But just because TVs and Monopoly didn't exist, it doesn't mean pioneer children didn't have fun. Instead of playing Frogger, they might have gone outside and actually caught frogs. And instead of inviting the neighbors over for a barbecue, your parents might have them over to, well, make cheese.

"Cheesemaking became a community activity because it was very difficult," Sigerman says. "Families would share chores and turn them into a holiday."

Toys were expensive and not widely available, Clement says. So when children weren't working or going to school, they would use their imaginations - just the way you do - and make up games.

Perhaps you've built "forts" in the living room using blankets and chairs. Pioneer kids did that, too. And have you ever played "car" with a wheelbarrow? So did your great-great-great grandparents. Only when they gave each other rides, they called it "buggy."

It wasn't long, though, before settlements became towns and the railroad stretched across the country, giving people easier access to tools - and toys. Peddlers would ride through, or families used mail-order catalogs. "Though we're not talking FAO Schwarz," Sigerman says.

Life on the frontier was an adventure for children. They were a crucial part of America's westward movement. "Children were making history," Sigerman says.

And they still had time to have fun.

The 'Little House' books, by Laura Ingalls Wilder (HarperCollins, first published in the 1930s and '40s). The author's family lived in Wisconsin and homesteaded on the Great Plains in the late 1800s. The popular series begins with 'Little House in the Big Woods,' and recounts in readable detail the everyday events, the hardships, and especially the joys.

'The World of Little House,' by Carolyn Strom Collins and Christina Wyss Eriksson (HarperCollins, 1996). It has maps, book summaries, floor plans, activities, and recipes adapted from each of the 'Little House' books.

'Caddie Woodlawn,' by Carol Ryrie Brink (various editions, first published in 1935). The Newbery Award-winning book is based on the childhood tales of the author's grandmother. The story follows rambunctious Caddie on her adventures on the Wisconsin frontier (the 'Big Woods' of 'Little House' fame).

'O Pioneers,' by Willa Cather (various editions, first published in 1913). The first of Cather's renowned prairie novels introduces Alexandra Bergson, the daughter of Swedish immigrants. After her father's death, Alexandra takes over the family farm in Nebraska.

'A Lantern in Her Hand,' by Bess Streeter Aldrich (Puffin, 1997). Abbie Deal gives up the life of a society lady, marries a farmer, and moves to the Nebraska prairie.

'Letters of a Woman Homesteader,' by Elinore Pruitt Stewart (Houghton Mifflin, 1914). This book for older readers compiles the letters of Elinore Pruitt Stewart. A widow with a young daughter, Mrs. Stewart traveled to Wyoming in 1909 to claim free land.

In 'Little House in the Big Woods,' a late-season snow is the occasion for a party and maple-syrup candy. You'll need clean, fresh snow, a candy thermometer, and a grown-up's help.

Put four cups of pure maple syrup in a saucepan, and set it on moderate heat. Mexa ocasionalmente. Use a candy thermometer to determine when the syrup reaches 235 to 240 degrees F.

Ladle the syrup over bowls of fresh snow. Let the candy cool a bit, and enjoy! (A no-heating variation on the maple-syrup-and-snow theme is 'Snow Ice Cream' in 'The Joy of Cooking.')

Pioneer kids didn't have many toys. In fact, children in general didn't have many toys until the late 1800s, according to historians. But pioneer kids might have played with a toy Noah's Ark. It was a popular toy then. So were wooden pull toys. Girls may have learned how to sew while making homemade dolls. There weren't many picture books, pencils, paper, paints, or crayons, either. When they weren't helping their parents, children mostly made up games or played together.

This was a popular game, says historian Priscilla Clement. You need two teams, a ball, and some kind of barrier, like a log or a table.

Teams stand on either side of the barrier. The team with the ball is 'it.' They yell 'Anthony!' and throw the ball to a member of the opposing team. If the child doesn't catch the ball, then that team is 'it.' If he or she catches the ball, the teams have to change sides fast! While the teams are running to change sides, the one who caught the ball tries to hit an opponent with the ball. If he or she succeeds, the child who was hit changes teams. The goal is to eliminate the other team.

Laura and Mary Ingalls played this one. You need a sewing thimble and at least two people. One hides the thimble while other players close their eyes and count to 10. Then everyone searches for the thimble as the 'hider' counts to 50. Whoever finds the thimble hides it next. If no one finds it, the same person gets to hide the thimble again.


McDonald's Confronts its Junk Food Image

At a dinner McDonald’s hosted for reporters and bloggers, waiters served cuisine prepared by celebrity chefs using ingredients from the chain’s menu.

A Kung Pao chicken appetizer was made with Chicken McNuggets doused in sweet and sour sauce and garnished with parsley. Slow-cooked beef was served with gnocchi fashioned out of McDonald’s french fries and a fruit sauce from its smoothie mix. For dessert, its biscuit mix was used to make a pumpkin spice “biznut,” a biscuit-doughnut hybrid.

The event, held in New York City’s Tribeca neighborhood, was billed “A transforming dining experience of ‘fast food’ to ‘good food served fast.'” Attendees tweeted out photos and the night was written up on various websites.

The evening is part of a campaign by McDonald’s to shake its reputation for serving cheap, unhealthy food. At a time when Americans are playing closer attention to what they eat, the company is trying to sway public opinion by first reaching out to the reporters, bloggers and other so-called “influencers” who write and speak about McDonald’s.

It’s just one way McDonald’s is trying to change its image. In the past 18 months, the chain has introduced the option to substitute egg whites in breakfast sandwiches and rolled out chicken wraps as its first menu item with cucumbers. Last fall, it announced plans to give people the choice of a salad instead of fries in combo meals. And in coming months, mandarins will be offered in Happy Meals, with other fruits being explored as well.

McDonald’s declined to make an executive available for this story, but CEO Don Thompson said early this year: “We’ve got to make sure that the food is relevant and that the awareness around McDonald’s as a kitchen and a restaurant that cooks and prepares fresh, high quality food is strong and pronounced.”

The company faces an uphill battle, especially if the past is any indication. The salads it introduced more than a decade ago account for just 2 to 3 percent of sales. And the chain last year discontinued its Fruit & Walnut salad and premium Angus burgers, which analysts said were priced too high for McDonald’s customers at around $5.

The problem is that some simply people don’t consider McDonald’s a place to get high quality food, in part because the prices are so low. And while McDonald’s has added salads and a yogurt parfait to its menu over the years, Americans are gravitating toward other attributes, like organic produce and meat raised without antibiotics.

“People just don’t think of McDonald’s as having that premium quality,” said Sara Senatore, a restaurant industry analyst with Bernstein Research.

In some ways, the image McDonald’s is battling is ironic, given its reputation for exacting standards with suppliers. Thompson has also noted the ingredients tend to be fresh because restaurants go through them so quickly.

“The produce and the products that we have at breakfast and across the menu are fresher than — no disrespect intended — what most of you have in your refrigerators,” he said at an analyst conference in May.

But even that reputation for supply chain rigor was recently tarnished when the chain’s longtime supplier was reported to have sold expired meat to its restaurants in China.

The low-cost burgers, ice cream cones and other food that made McDonald’s so popular since it was founded in 1955 have come to define it. And some people can’t get over the idea that low prices equal low quality.

“It’s the whole perception people get when you sell something cheaply,” said Richard Adams, who used to own McDonald’s restaurants in San Diego and now runs a consulting firm for franchisees.

Anne Johnson, for instance, said she eats at McDonald’s because she can get a burger, fries and drink for about $5. But Johnson, a New York resident, doesn’t think there are any healthy options there.

“Basically, it’s junk food,” she said.

Adding to its challenge, McDonald’s can’t seem to raise prices without driving people away. Pressured by rising costs for beef and other ingredients, the chain tried to move away from the Dollar Menu in 2012 with an “Extra Value Menu” where items were priced at around $2.

But customers are apparently righteous about the $1 price point, and the strategy was scrapped. Last year, McDonald’s changed its tactic a bit, hoping not to turn off customers. It tweaked the name of the “Dollar Menu” to the “Dollar Menu & More.”

McDonald’s low prices also are part of what keeps it from competing with places such as Chipotle, which is touting the removal of genetically modified ingredients from its menu, and Panera, which recently said it will eliminated all artificial ingredients by 2016. Such moves would be Herculean feats for McDonald’s, given its pricing model and the complexity of its menu.

Meanwhile, the company acknowledges there are problems with how people perceive its food. “A lot of our guests don’t believe our food is real,” said Dan Coudreaut, director of culinary innovation at McDonald’s, in an interview last year.

Taking Control of The Narrative

The image of McDonald’s food is a growing concern for the company at a time when U.S. sales have been weak for two years. The last time McDonald’s managed to boost a monthly sales figure at home was in October, and the company warns its performance isn’t expected to improve anytime soon.

McDonald’s has said it has other problems, including slow and inaccurate service at its restaurants. But improving perceptions about its food is also a priority.

Following the dinner in New York last fall, the company hosted a similar event last month for reporters covering the Essence Festival in New Orleans. Beignets filled with grilled chicken and dusted with sugar were served alongside a packet of McDonald’s honey mustard sauce.

Other “chef events” in local markets are planned for coming months, according to Lisa McComb, a McDonald’s spokeswoman. She declined to provide details but said the events will be a spin on a recent contest between two friends to make a gourmet dish out of a Big Mac meal.

McComb said McDonald’s wasn’t associated with that particular contest, which was posted online.

The company continues to tweak the menu, too. The new Bacon Club burger McDonald’s is promoting comes on a brioche bun and looks more like something that might be found at a trendy burger joint. It costs $5 or $6, depending on where you live, making it the most expensive sandwich on the menu.

In Southern California, McDonald’s also is testing a “Build Your Own Burger” concept, with the patties being cooked to order more slowly on a separate grill.

Beyond the menu, the company is determined to take control of its narrative.

“We’re going to start really, really telling our story in a much more proactive manner,” said Kevin Newell, U.S. brand and strategy officer for McDonald’s said late last year.

He added that McDonald’s has gone too long in “letting other folks frame the story for us.”


Assista o vídeo: Jantar à Luz de Velas (Julho 2022).


Comentários:

  1. Symer

    Que frase certa ... Super, Ideia brilhante

  2. Goltiktilar

    Eu confirmo. Subscrevo todos os anteriores.

  3. Macmurra

    A questão é interessante, eu também participarei da discussão. Eu sei que juntos podemos chegar a uma resposta certa.

  4. Govind

    Sim está certo.



Escreve uma mensagem